Mulher (homem, amigos, amigas) de fases

Engraçado como as pessoas mudam. É claro que mudanças são inevitáveis, a vida nos leva por caminhos que nós escolhemos seguir, mas muitas vezes também nos leva a caminhos inesperados e isso faz com que as coisas mudem. É o curso natural da vida. Mudanças! O que eu não entendo são pessoas de fases, pessoas que mudam além do normal, 'pessoas-lua'.

Eu explico. Há dois sábados, eu estava no carro indo do trabalho para casa, quando avistei uma amigona da época de ensino médio, amigona mesmo. Eu, sendo uma pessoa altamente empolgada, parei o carro e fui cumprimentar T. que estava com o cachorro e a prima, eu, meio que sem saber o que falar, mas empolgada em vê-la, fui abraçá-la cheia de felicidade, esperando ver a mesma reciprocidade por parte dela, mas não houve. Não a culpo, sabe-se lá o que ela estava passando, talvez não esperasse me ver e ficou meio sem jeito, sei lá, essas coisas acontecem, eu é que sou empolgada demais. Esse tipo de mudança dá pra entender, a gente era amiga de ensino médio, mas eu sabia que dificilmente a amizade perduraria, apesar de nossas famílias terem certo vínculo, não um SUPER vínculo, mas enfim, nenhuma de nós lutou pela amizade. Paciência. A culpa também foi minha.

Agora o que eu realmente não entendo são as pessoas de fases. Aquelas pessoas que não conseguem ter mais de um círculo de amizade ao mesmo tempo, ou se têm, acabam por favorecer demais um deles e deixando o outro de lado. Resumindo, não conseguem. Eu percebi isso hoje, ao descobrir que uma amiga minha de longa data, daquelas que uma vivia na casa da outra, está namorando. Ela namorar não é o problema, o problema é eu descobrir isso pelo Orkut, daí, quando vou eu perguntar pra ela, na boa, sem pressão, sobre o assunto, descubro que eu nem sei quem é o tal agraciado. Isso é ruim demais! Saber que alguém que já fez parte do seus ‘melhores amigos’ ser agora, apenas, sua conhecida. As lembranças da nossa amizade são de, no máximo, oito meses, disso pra cá, eu não lembro de ter compartilhado nada da minha vida com ela e vice-versa.

Outro caso estranhíssimo, é de outra amiga. Essa era, definitivamente, A melhor amiga, daquelas que a gente tem certeza que vai envelhecer juntas, que vão as duas se sentarem lado a lado na cadeira de balanço, sem dente algum na boca e vão rir freneticamente das loucuras que já fizeram. Mas a vida tem cada uma... Essa amiga, simplesmente, não conversa mais comigo. De um dia para outro, ela não responde meus recados, meus emails, não atende meus telefonemas, nem fala sobre mim com outras amigas. E eu, sem nem saber o motivo, já tentei pedir perdão por algo que eu possa ter feito, mas se ela nem fala comigo, fica difícil, né?
Fato é que eu nem deveria me importar tanto com isso, não fui eu mesma quem disse ali em cima que as pessoas mudam, que a vida muda? Pois é, mas me incomoda sim. Incomoda-me gente inconstante, gente que cada dia pensa de um jeito. Isso, pra mim, não é ser mente aberta, é ser inconstante. Incomoda-me gente que não sabe agregar, que pra ter mais amigos, tem que desfazer de outros. Isso é feio, gente! É possível ter muitos amigos. Não to falando de quantidade acima de qualidade.  Se você tem três amigos e tá feliz com eles, ótimo! Cultive-os e seja feliz! Agora não vá me dizer que você é um desses que hoje tem um amigo, amanhã tem outro e se desfez daquele primeiro. Isso é coisa de gente interesseira, que só mantém amizade por conveniência, e eu repito: Isso é feio, gente!

Eu não consigo ser assim, (to soando convencida? Desculpem-me, não é a intenção) não consigo ter ‘inimigos’, não consigo deixar as coisas pro tempo resolver. Comigo é tudo preto no branco (GALOOO). Brigou? Tem que resolver agora! Magoei-te? Peço perdão na hora! Não gostei? Falo-te na hora! Não tem essa de eu cruzar com você na rua e não olhar na sua cara porque você pisou no meu pé dois anos atrás. Isso é coisa de gente rancorosa, e rancor dá gastrite, que dá úlcera, que dá câncer, que mata! E eu é que não vou morrer por causa de mágoa. Eu não!
                    
Então, que fique expressa minha indignação contra as mulheres, homens, amigos e amigas de fase! 
Vamos ser pessoas mais constantes, por favor.

beijos,
Deb

4 comentários:

Felipe Fagundes disse...

Me deixa louco essas pessoas que ficam magoada mas não te falam o que aconteceu. Você fica perguntando, perguntando, perguntando, na esperança de ter alguma pista e poder pedir perdão, mas a pessoa não abre a boca, só fica com a cara fechada.
É a pior das situações.

Débora disse...

Tem razão, Felipe!
Eu acho que as pessoas deveriam falar mais o que sentem, o que as magoa etc. É claro que precisa haver sabedoria pra falar, mas se é pra ficar com cara fechada, que fale logo!

Cíntia Mara disse...

Eu sou "de lua". Fato!

Não tenho uma grande amiga de infância, quem eu considero minhas melhores amigas hoje, nem devem saber disso. E as que já foram, hoje tenho uma relação natural, sem pressão de continuarmos compartilhando tudo, cada uma seguindo a sua vida, mas ficamos felizes quando nos encontramos (quer dizer... eu fico feliz, mas considerando que quase sempre eu sou a mais fria...).

Tirando a minha "ex-inimiga de infância", que agora virou desconhecida, porque eu duvido que seja capaz de reconhecê-la na rua, não sei de ninguém que não converse comigo por causa de mágoa. Eu explodo, peço desculpas 10 segundos depois e pronto. Se a pessoa quiser ficar "de bem" outra vez, ótimo. Se não quiser, ela tem o direito de não gostar de mim, de não querer conversar comigo. Sei correr atrás não!

Vanessa Carneiro disse...

e rancor dá gastrite, que dá úlcera, que dá câncer, que mata! E eu é que não vou morrer por causa de mágoa. Eu não!
faço das suas as minhas palavras.

tenho uma amiga de lua tb. aja amor pra aguentar... ela nao sabe resolver conflito. a unica com qm ela ta falando sou eu e a irma dela agora pq se chateou com as meninas e nao qr conversar pra resolver... aff ¬¬'

Design by Blogger Templates